Clínica do Kanji #2 – Como construir sua casa de kanji, bloco por bloco

ebook-728x90

Clínica do Kanji Coluna #2, Japan Times, 4 de Maio de 2001.

“Como construir sua casa de kanji, bloco por bloco”

Muitos estrangeiros adultos vivendo no Japão aspiram fluência literária em Japonês. Infelizmente estes aprendizes de ideogramas geralmente falham em considerar um aspecto crítico da tarefa que tem em mãos: a extrema importância de selecionar uma seqüência efetiva para aprender todos os 1,945 ideogramas de uso geral (joyo). Saber todos estes ideogramas é essencial para entender materiais escritos em japonês.

Livros de kanji para estudantes estrangeiros normalmente começam com os 80 ideogramas da 1ª série do ensino fundamental japonês. Um monte de ideogramas visualmente complexos, não familiares para iniciantes, contendo palavras compostas como勉強 benkyoo “estudo” ou郵便局 yuubinkyoku “correio” são normalmente ensinados no início por serem considerados como “necessários/freqüentemente usados” por adultos.

Livros assim, por falta de uma seqüência voltada para adultos, seguem então de certo modo a ordem definida pelo Ministério da Educação do Japão, mostrando a seguir os outros 926 ideogramas que alunos aprendem até a 6ª série.

Querer que estrangeiros adultos, com suas vidas atarefadas devido a trabalho, estudo, etc., memorizem os ideogramas na mesma seqüência usada pelas crianças é um erro grave: Quebra com uma abordagem de “construção” que pode tornar a tarefa muito mais fácil.

Muitos caracteres simples que não são introduzidos a estudantes elementares ou mesmo a estrangeiros estudantes de japonês podem ser facilmente usados como “tijolos, blocos de construção” para memorizar caracteres mais complicados. Por exemplo, “ponto” e “loja”, ambos ensinados na segunda série, incluem o ideogramaadivinhação“, o qual não é ensinado nas seis séries do ensino fundamental, aparecendo só depois na junior high school.

Você deve ter aprendido o primeiro ideograma de写真 shashin “fotografia” nas suas primeiras lições de japonês; agora você sabe que um de seus componentes, “transmitir”, é também um kanji de uso geral?

James Heisig, em seu inovador “Remembering The Kanji I, Um curso completo de Como Não Esquecer o Significado e a Escrita dos Ideogramas Japoneses”, apresenta todos os 1,945 ideogramas de uso geral na forma de “construção de blocos”: Ele não apresenta um ideograma antes que todos seus componentes/partes tenham sido devidamente nominadas/apresentadas.

Heisig assume que os usuários de seu “Kanji for Dummies” pretendem aprender cada um dos 1,945 ideogramas. Desde modo, ele não se preocupa com listas de freqüência ou ordens nas quais os estudantes japoneses memorizam os ideogramas.

A técnica de auto-estudo, “análise de componentes” de Heisig, permite que adultos, dotados de noções de lógica, abstração e concentração pouco vistas em crianças, relembrem o significado e a forma precisa mesmo dos mais complexos ideogramas vendo-os como a soma, o total de suas partes.

Nomeando alguns componentes com base em usos tradicionais (árvore ou fogo ), Heisig também traz outros nomes engraçados para os ideogramas e suas partes como “óculos de sol” ou “cofrinho”.

Ele mostra, com 500 de suas próprias engraçadas histórias, como usar o incrível poder da imaginação para lembrar os ideogramas. Os estudantes então têm de criar suas próprias histórias para os outros 1,500 ideogramas.

Aqui temos três histórias de Heisig, usando o componente chamado “computador”(Aviso: compartilhar essas histórias com qualquer um que tenha aprendido kanji ao “modo-antigo/tradicional” pode causar reações violentas)

PRETO

é COMPUTADOR, são CHAMAS. Como a maioria das coisas elétricas, um computador pode superaquecer. Imagine chamas saindo do computador, queimando tudo e a única coisa que sobra são as cinzas pretas do que era seu computador.

CARPA

Peixe e 里埋computador. Em bandeiras japonesas que trazem carpas desenhadas, os pais colocam também um computador, esperando que seus filhos tenham a coragem e determinação de carpas que nadam contra a corrente, e a eficiência e memória de computadores.

ENTERRAR

é terra. é computador. Aqui nós enterramos nosso amado computador, o qual nos serviu tão bem.

O livro de Heisig não contem a pronúncia dos ideogramas. Este iconoclasta dos ideogramas recomenda fortemente que você, aspirante sério a fluência literária em japonês, primeiramente aprenda a forma exata e o significado, em forma de uma única palavra, para cada um dos 1,945 ideogramas. Isso serve como a forte base para o aprendizado das muitas formas de pronúncia, e dá a você a mesma vantagem que estudantes vindos de países que utilizam ideogramas têm no aprendizado do idioma japonês.

O aprendizado do kanji deixa de parecer algo ruim quando misturado com humor. A abordagem bloco por bloco, história por história de Heisig, pode ser justamente o que você precisa para dar um novo impulso nos seus estudos de japonês

Tradução por Mairo C. Vergara
Artigo Original em Inglês em http://www.kanjiclinic.com/kc2final.htm

Gostaria de receber dicas de japonês direto no seu email? Basta digitar seu e-mail aqui e clicar “Assinar”

This entry was posted in Uncategorized and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.